Terça-feira, Agosto 9, 2022

Consumo de Petróleo na China Sobe 9%

Must read

O consumo de petróleo bruto nas refinarias domésticas da China subiu 9% ano/ano, para um recorde histórico de 14,14 mbpd em Junho, uma absorção de algumas das altas importações recordes e o volume deve permanecer alto até Julho. O recorde anterior foi de 13,84 mbpd em Dezembro, o volume foi 3,3% superior aos 13,69 mbpd registrados em Maio. 

O forte crescimento da taxa de consumo foi impulsionado principalmente pelas altas importações de petróleo nos últimos meses e deve permanecer alto em Julho, para dar espaço ao armazenamento dos carregamentos que aguardam nas águas chinesas devido ao congestionamento dos portos. As refinarias estatais e independentes chinesas aproveitaram ao máximo os baixos preços do petróleo no 2º trimestre e compraram de forma agressiva, o que levou a um aumento nas importações em cerca de 34,4%/ ano/ano, atingindo um novo recorde de 12,99 mbpd em Junho, cerca de 14,6% acima do recorde anterior de 11,34 mbpd em Maio. 

Como resultado, as refinarias estatais da China elevaram as taxas de processamento para 80% em Junho, acima  de 76% registradas em Maio e 79% em junho de 2019. No sector privado, a Zhejiang Petroleum & Chemical continuou a aumentar as suas taxas de processamento para quase 130% da sua capacidade total de 20 TM/ano em Junho, antes cerca de 120% em Maio, enquanto a Hengli Petroquímica (Dalian, 20 TM/ano)  manteve as suas taxas em torno de 115% em Junho, estáveis ​​em relação a Maio. 

Em contrapartida, é provável que um alto stock de produtos irá limitar qualquer aumento nas taxas de consumo em Julho, o que poderá inundar a região do rio Yangtze e atingir  a demanda pós COVID-19, uma vez que e o stock de produtos de petróleo já atingiu o limite.  

As exportações de produtos petrolíferos irão permanecer baixas em Julho, apesar do alto stock destes produtos. De Janeiro a Junho, a produção da China foi de 12,85 mbpd devido ao forte aumento ano/ano. Como resultado, o rendimento no 1º semestre deste ano ficou estável em relação ao 1º semestre de 2019 em barris/dia, após quedas ano a ano de 1,7% em relação a Janeiro-Maio e de 4,2% em relação a Janeiro-Abril devido ao coronavírus.  

O consumo doméstico de petróleo bruto também cresceu cerca de 0,7% ano/ano, atingiu uma alta de 3 anos de 3,97 mbpd em Junho. A alta anterior foi de 3,99 mbpd em junho de 2017. 

Os investimentos iniciais no downstream nos últimos anos está gradualmente ser reflectido na produção, mas o crescimento possivelmente irá sofrer uma desacelaração por causa das empresas petrolíferas que reduziram as despesas de capital este ano devido aos baixos preços do petróleo.

- Advertisement -spot_img

Mais Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -spot_img

Mais Recentes