Sexta-feira, Dezembro 9, 2022

Must read

- Publicidade -spot_img

Mais Artigos

Gasoduto Marrocos-Nigéria Recebe Luz Verde

O Marrocos, Nigéria e a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) assinaram um memorando de entendimento (MoU) para o arranque  da construção do gasoduto Marrocos-Nigéria de quase 5.600 km, avaliado em $25 biliões. 

O gasoduto Marrocos-Nigéria será construído ao longo da costa oeste africana a partir da Nigéria, atravessando o Benin, Togo, Gana, Costa do Marfim, Libéria, Serra Leoa, Guiné, Guiné-Bissau, Gâmbia, Senegal e Mauritânia, até Marrocos de onde será ligado ao gasoduto Maghreb Europe. 

O memorando de entendimento foi assinado pelas partes em Rabat, Marrocos, na presença de representantes da Agência Nacional de Minas e Hidrocarbonetos do país do norte da África (ONHYM) e da Companhia Nacional de Petróleo da Nigéria (NNPC). O projecto será financiado em equidade 50/50 pela NNPC e a ONHYM.  De acordo com a ONHYM, o MoU confirma o compromisso da CEDEAO, bem como o envolvimento de todos os países de passagem, sendo que este projecto estratégico ajudará na melhoria do padrão de vida das populações, integração das economias da sub-região e a redução da desertificação graças a um fornecimento sustentável e confiável de gás. O projecto do gasoduto Marrocos-Nigéria fornecerá gás em toda a África Ocidental, abrindo uma nova rota de exportação para a Europa, através do pipeline Maghreb Europe.  

Além disso, o gasoduto Marrocos-Nigéria exportará gás natural aos países sem litoral como o Níger, Mali e Burkina Faso, trazendo benefícios económicos significativos para a região, por meio do uso de uma energia limpa que atende aos novos compromissos do continente para proteger o meio ambiente. A expectativa é que essa infraestrutura dará à África uma nova dimensão económica, política e estratégica. 

No início deste ano, o Fundo da OPEP assinou um acordo para fornecer um empréstimo de $14,3 milhões para a fase 2 do estudo de engenharia de ponta (FEED) do projeto de gasoduto Marrocos-Nigéria. Estima-se que o estudo FEED de fase 2 tenha um custo estimado de $90,1 milhões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -spot_img

Mais Recentes