Sexta-feira, Dezembro 9, 2022

Must read

- Publicidade -spot_img

Mais Artigos

Investimentos no Sector Energético Deverão Atingir $2 Trilhões em 2022

O aumento dos preços do barril de petróleo, gás e outras fontes de energia, combinado com a redução da dependência da União Europeia aos suprimentos russos, além da inflação pandêmica pós-COVID-19, vão resultar num aumento nos investimentos no sector de energia, os quais se prevê atingir os $2,1 trilhões no corrente ano.

Os investimentos no sector de Oil & Gas devem aumentar 16%, cerca de $142 biliões emrelação ao ano passado, à medida que os produtores de petróleo e gás em todo o mundo buscam aumentar a sua produção.

Para as energias limpas, prevê-se que com base nos actuais projectos, a capacidade global em 2022 cresça até 250 GW em energia eólica e solar, aumentando os investimentos do sector em 24%, equivalente a cerca de $125 biliões.

Há uma preocupação no mercado de energia de que a guerra na Ucrânia desacelere a transição energética, embora os últimos dados apontem que os investimentos em energia limpa cresçam mais rápido do que o sector de combustíveis fósseis. Não fosse a invasão, no entanto, o crescimento do investimento em petróleo e gás teria sido reduzido, e a participação das energias limpas nos investimentos globais em energia teria sido ligeiramente maior do que os atuais 31%.

Um factor fundamental para a alta nos investimentos em energia é a inflação global dos preços de materiais, dos custos de mão-de-obra e das taxas de transporte causadas pela pandemia e pelas sanções impostas à Rússia. Em comparação com os níveis de 2020, os custos dos projectos de Oil & Gas aumentaram de 10 a 20%, em grande parte, devido ao aumento dos preços do aço e um mercado mais apertado entre os fornecedores. Dentro das renováveis, o lítio, o níquel, o cobre e o polisilício, todos parte da fabricação de baterias e energia solar fotovoltaica, elevaram os custos de projetos renováveis de 10 a 35% no mesmo período.

Os investimentos em energia no mundo estão no seu pico. Apenas o ano de 2014 registou números semelhantes. 

A divisão das despesas, de capital e operacionais em 2022 revela que o petróleo ainda domina o cenário energético, com $658 biliões, e um crescimento de 16% para produzir 99,6 MBPD na oferta de líquidos. O sector de gás e LNG também terá um crescimento considerável, com um aumento de 15% nos investimentos, aumentando a produção de 390 MMcfd para 396 MMcfd. Dentro das energias limpas, são a solar, captura e armazenamento de carbono (CCS), hidrogênio e a geotérmica que registaram maiores aumentos, na faixa dos  40-60%.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -spot_img

Mais Recentes