Segunda-feira, Novembro 28, 2022

Must read

Mais Artigos

Reserva Mundial de Petróleo Cai 9% em 2021

Os recursos totais de petróleo recuperáveis estão estimados em 1,725 biliões de barris, uma redução significativa da estimativa do ano passado que rondava os 1,903 biliões de barris. Desse total, cerca de 1,300 biliões de barris são suficientemente lucrativos para serem produzidos antes do ano 2100 a um preço real do petróleo Brent de $50/bbl.

Nesse cenário, a produção global de petróleo e gás natural líquido cairá para menos de 50 em 2050, o que vai diminuir as  emissões brutas de gases para 450 GT de C02 até 2100, representando um nível de conformidade com o orçamento de carbono do IPCC para o aquecimento global limitado a 1,8 C em 2100. 

A revisão deste ano dos recursos globais de petróleo recuperáveis é baseada em recursos modelados em nível de poço ao invés dos níveis dos campos. Esta abordagem mais detalhada removeu 178 bilhões de barris das contas esperadas, vendo que o nível de confiança para as taxas de declínio aumentou com a quantidade de novas informações coletadas.

Em termos de volumes absolutos removidos de produtores não-OPEP, os recursos recuperáveis restantes nos EUA estão reduzidos para 214 biliões de barris, o que representa uma queda de 30 biliões de barris em relação às estimativas de 2020. A China sofreu a 2ª maior perda com seus recursos recuperáveis restantes agora limitados a 50 biliões de barris, uma revisão para baixo de 26 biliões de barris. Os recursos recuperáveis do México estão em 3º lugar na lista de perdas, apresentando um declínio de 12 biliões de barris para 26 biliões de barris. A maioria das revisões deste ano são impulsionadas pelo menor potencial de crescimento das actividades de exploração de petróleo de xisto dos EUA devido à complexidade geológica e a necessidade de extensas campanhas de exploração e tecnologias aprimoradas de fracking.

Os recursos recuperáveis restantes dos países da OPEP foram reduzidos em 53 biliões de barris, para 741 biliões de barris. O Irão e a Arábia Saudita têm as maiores revisões, ambos os países perderam  11 biliões de barris cada, com os volumes de petróleo recuperáveis calculados em  288 biliões de barris para os sauditas e em 101 biliões de barris para os iranianos. O Iraque segue em 3º lugar, uma vez que seus recursos recuperáveis tiveram uma queda de 8 biliões de barris  para 110 biliões de barris.

Nessa revisão, a Arábia Saudita mantém o trono como o produtor com os maiores volumes de recursos recuperáveis de petróleo (288 biliões de barris). Os EUA em 2º lugar (214 biliões de barris), a Rússia em 3º (149 biliões de barris) e o Canadá em 4º (138 biliões de barris).

Na América Central e do Sul, o Brasil permanece na 1ª posição com cerca de 83 biliões de barris recuperáveis (2 biliões de barris abaixo da actualização do ano passado). Na Europa, com 19 biliões de barris (queda de 1 bilião de barris nesta actualização), a Noruega permanece à frente do Reino Unido, cujos volumes diminuíram em 2 biliões de barris para 10 biliões. Na África, a Nigéria, líder em recursos naturais, perdeu 6 biliões de barris e seus recursos recuperáveis estão agora estimados em 20 biliões de barris.

Ao contrário da maioria dos países, os recursos de petróleo recuperáveis estimados da Austrália aumentaram em 2 biliões de barris para 23 biliões de barris.

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -spot_img

Mais Recentes