Segunda-feira, Novembro 28, 2022

Must read

Mais Artigos

Total Compra Participação da Tullow no Uganda

A Tullow Oil concordou vender todos os seus interesses no bloco de petróleo do Uganda à Total por $575 milhões, num acordo que também esclarece uma disputa tributária com o governo que constrangia o projecto petrolífero do país. 

Os termos da venda foram discutidos com o governo e as autoridades fiscais do Uganda, foi alcançado um acordo sobre o tratamento tributário da transação. Essa aquisição irá permitir com que a Total e a sua parceira CNOOC, possam avançar com o projecto em direção a Decisão Final de Investimento (DFI), e a redução de custos para materializar-se num projecto robusto à longo prazo. 

Além de $500 milhões iniciais em cash e outros $73 milhões a quando da DFI do projecto for tomada. Serão feitos pagamentos condicionais à Tullow relacionados à produção e ao preço do petróleo, que serão acionados quando os preços do Brent estiverem acima de $62/bbl.

Liderada pela total, a aprovação do projecto de desenvolvimento de petróleo de Lake Albert foi adiada por vários anos, em parte devido a uma disputa duradoura sobre as taxas e os termos fiscais com o governo. 

Um acordo de $900 milhões para a Tullow vender a sua participação de 33,33% do projecto para a Total e a CNOOC da China expiraram no ano passado, após longos atrasos nos acordos comerciais e fiscais com o governo. 

As empresas esperavam um  acordo para arrancar com  o desenvolvimento, que inclui uma pipeline de exportação de $3,55 biliões e a perfuração de mais de 500 poços para produzir 230.000 bpd. 

Actualmente a Total é a operadora dos blocos 1 e 1A e a CNOOC operadora do bloco 3A, enquanto que a Tullow opera o bloco 2. A CNOOC detém direitos de preferência para adquirir metade dos interesses do Uganda nos mesmos termos e condições que a Total. 

Para a Tullow esse acordo marcou o primeiro passo nos esforços para arrecadar mais de $1 bilião para reduzir as dívidas e fortalecer o seu balanço patrimonial após uma série de contratempos operacionais que levantaram preocupações sobre a sobrevivência da empresa. 

Em dezembro, o preço das acções caiu depois que o CEO e o director de exploração renunciaram os cargos, após resultados decepcionantes da exploração em  uma das principais  reservas do país e uma perspectiva de preços mais baixos do petróleo. No mês de Março, a Tullow reduziu 35% da sua equipa e suspendeu o pagamento de dividendos a medida que os preços do petróleo declinaram. 

O acordo com a Total foi o colete de salvação para a Tullow, que por sua vez  foi confrontada com a violação  das cláusulas de dívida este ano e foram avaliados activos acima do esperado. As acções da Tullow subiram mais de 30% após a declaração do início das negociações em Londres. 

A Tullow alcançou um preço decente em um mercado incerto, num momento difícil. No entanto , a sua estratégia exige um esgotamento da sua oportunidade de pagar as dívidas. 

Durante o 1º trimestre do corrente ano, a Tullow declarou que a sua produção estava alinhada com as expectativas, com uma média de 75.800 bpd, e a sua orientação anual permanece entre 70.000 bpd e 80.000 bpd.   

Até o momento, a propagação do coronavírus não afectou as instalações de produção da Tullow, embora alguns trabalhos tenham sido suspenso no Quênia e as operações sísmicas na Costa do Marfim. (Platts).

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -spot_img

Mais Recentes