28.8 C
Luanda Province
Wednesday, May 29, 2024
 

Derrame de Petróleo Nas Ilhas Maurícias Atinge Maiores Proporções

O navio petroleiro japonês que se encontra nas Ilhas Maurícias acabou por dividir-se ao meio, despejando o resto do combustível que carregava no oceano.

O desastre começou no dia 25 de julho, quando o graneleiro Wakashio, de propriedade da japonesa Nagashiki Shipping ia a caminho do Brasil, naufragou na costa da ilha do Oceano Índico.

Até a data já foram cerca 1.180 TM de petróleo depositadas no oceano, de um total de 4.000 TM a bordo. Estima-se que cerca de 460 TM tenham sido recuperadas manualmente do mar. 

Confirmou-se que a rachadura dentro do casco do navio havia se expandido, uma vez que este navio não pode navegar sozinho, está atracado a um rebocador para que não flutue, mesmo se estiver rachado. No entanto, o navio dividiu-se em 2 partes. 

Como medida de precaução foram colocados Booms e Skimmers a volta do navio.

A população da ilha tem desenvolvido esforços no sentido de se absorver o petróleo, algumas pessoas chegam ao ponto de cortar o cabelo e doar como sacos adsorventes improvisados para absorver o petróleo, já que pesquisas científicas anteriores mostraram que o cabelo humano é um bom adsorvente de crude.

Houve sérias preocupações com o impacto ambiental do acidente devido à carga da embarcação. A maior parte do crude que permaneceu no petroleiro após o derrame inicial foi bombeado antes de o navio dividir-se, num montante de cerca de 3.000 toneladas. Mesmo assim, os ambientalistas temem que nem todo o combustível derramado seja recuperado, ameaçando os ecossistemas marinhos locais. (Oilprice).

Subscreva

- Obtenha acesso total aos nossos conteúdos premiums

— Publicidade —

Recentes

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here