24.8 C
Luanda Province
Segunda-feira, Fevereiro 26, 2024
 

Novas Refinarias e Melhoramento das Existentes

[ihc-hide-content ihc_mb_type=”block” ihc_mb_who=”unreg” ihc_mb_template=”1″ ]

A Sonangol pretende construir uma unidade de cracking catalítico na refinaria de Luanda cuja previsão de entrada em funcionamento está para o final do primeiro semestre de 2021. A Sonangol vai avançar com o plano de construção da refinaria do Lobito, com uma capacidade de 200.000 bpd e entrá em funcionamento em 2022.

A TechnipFMC assinou um importante contracto de Engenharia, Aquisição e Construção (EPC), para a modernização da refinaria de Alexandria da MIDOR. O contracto tem como objectivo aumentar a capacidade da refinaria até 60% para 160.000 bpd e inclui a substituição das unidades existentes, bem como entrega de novas unidades de processamento como um CDU, VDU e uma instalação de produção de hidrogénio com base na tecnologia de reforma de vapor.

A NNPC está em discussões com possíveis financiadores com intuito de realizar reformas consideráveis nas suas quatro refinarias, duas em Port Harcourt, uma em Kaduna e Warri. Esta intenção tem como finalidade aumentar substancialmente a oferta local de derivados de petróleo e acabar com as importações. O comissionamento da refinaria de Dangote localizada em Lagos, com uma capacidade de até 650.000bpd está previsto para 2020. A construção da planta com um custo estimado de $3,3 bilhões está a cargo do conglomerado nigeriano Dangote Industries e usará o crude nigeriano. A NNPC também planeia construir duas refinarias para o processamento de condensados com uma capacidade combinada de 200.000 bpd.

A Sonatrach 7 ofertas de companhias internacionais para a construção de uma nova refinaria no leste da Argélia, o contracto de construção da refinaria de Hassi Messaoud com uma capacidade anual de 5 milhões de toneladas métricas (mt), deveria ser entregue até o final de 2018. A Argélia reduziu o seu plano de rapidamente expandir o seu sector downstream com a construção de 5 refinarias, e irá avançar apenas com 2 novos projectos: Hassi Messaoud e Tiaret.

Espera-se que a primeira refinaria do Sudão entre em funcionamento em Janeiro de 2019, uma vez que o país mais jovem do mundo almeja reduzir a sua dependência nas importações. A construção da refinaria está a cargo da empresa russa Ssfinat Caspian Oil Refining Company. A refinaria terá uma capacidade de processamento de 8.000 bpd.

O Uganda assinou um contracto com um consórcio para construir e operar uma refinaria de 60.000 bpd no oeste do país. Espera-se que a planta de $4 bilhões processe 30.000 bpd na primeira fase e deverá dobrar a produção na segunda fase. Está previsto que o projecto entre em funcionamento em 2020. (Platts).

[/ihc-hide-content]

Subscreva

- Obtenha acesso total aos nossos conteúdos premiums

Recentes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui