26.4 C
Luanda Province
Terça-feira, Abril 23, 2024
 

Preços do Crude Recuam Após Anúncio de Proibição de Fornecimento da Rússia 

Os contratos futuros de petróleo bruto caíram em em 27 de Dezembro, após a notícia de que a Rússia proibirá o fornecimento de petróleo por 5 meses aos países que impuseram o preço limite de $60/bbl.

O petróleo da NYMEX WTI para entrega em Janeiro fechou a sessão de vendas a $79,53/bbl, uma queda de $0,3/bbl, enquanto o Brent também para entrega em Janeiro fechou a $84,33/bbl, registando uma subida de $0,41/bbl.

Em termos de produtos refinados, o RBOB da NYMEX fechou em $2,3602/gal, uma baixa de $0,234, e o ULSD fechou com uma alta de $0,876,  fixando-se em $3,3537/gal.

Os contratos futuros de petróleo subiram para uma alta de três semanas a 23 de Dezembro, antes do feriado prolongado, depois que o vice-primeiro-ministro russo, Alexander Novak, ter anunciado a possível redução da produção de petróleo russo que poderá cair até 700 KBPD, resultante das sanções sobre petróleo bruto e derivados na UE e o teto de preço de $ 60/bbl para as exportações do petróleo russo.

Os preços continuaram a subir até 27 de Dezembro, com o petróleo WTI atingindo uma alta intradiária de $81,18/bbl, e o ICE Brent atingindo $85,60/b.  Os preços caíram, no entanto, depois que a Rússia anunciou que proibiria o fornecimento de petróleo aos países que observarem o preço máximo a partir de 1 de fevereiro, de acordo com uma ordem assinada pelo presidente russo, Vladimir Putin, em 27 de Dezembro.

No entanto, não está claro se a Rússia realmente cortaria a oferta, considerando que os Urais russos já estão a ser negociados bem abaixo do limite de preço de $60/bbl, uma vez que até 23 de Dezembro foram negociados ao preço de $42.665/bbl, cerca de $38.22/bbl  abaixo do valor do Brent datado. Prevê-se que a oferta de petróleo russo chegue a um pico de 900 KBD abaixo dos níveis pré-guerra em Fevereiro-Março, o que foi uma revisão significativa de sua estimativa anterior de 1,5 MBPD.

Os preços futuros do petróleo foram apoiados no início do dia, após o abrandamento das regras de confinamento na China em relação às chegadas do exterior, alimentando as esperanças de reabertura de suas fronteiras. Acredita-se que a reabertura da China deve ajudar a compensar a demanda mais fraca nos EUA e na Europa, resultando num aumento modesto na demanda global de petróleo.

Subscreva

- Obtenha acesso total aos nossos conteúdos premiums

— Publicidade —

Recentes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui