26.4 C
Luanda Province
Terça-feira, Abril 23, 2024
 

Produção de Petróleo dos EUA Sobrepõe-se aos Cortes de Produção da OPEP+ 

Apesar da redução no número de plataformas de perfuração em operação nos EUA, a produção de petróleo bruto está prevista alcançar um novo recorde mensal de 13 MBPD em Setembro. 

Esse crescimento, embora mais lento que nos anos anteriores, reflete a disciplina demonstrada pelos produtores de petróleo xisto dos Estados Unidos nos últimos 02 anos. 

O recorde mensal esperado para Setembro iguala o pico de produção alcançado em Novembro de 2019, antes da pandemia interromper a demanda global, desencadear uma queda nos preços do petróleo e resultar em cortes na produção. 

A expectativa é que a produção de petróleo bruto dos Estados Unidos continue a aumentar até o final do ano, com estimativas médias entre 13 MBPD e 13,1 MBPD para Outubro e os próximos 04 trimestres. Embora a um ritmo mais lento, a produção americana está a crescer e a compensar partes dos cortes da OPEP+, apesar das reduções alargadas da oferta saudita e russa apertarem o mercado petrolífero global. 

A Rystad Energy, enfatiza que o ritmo da produção é mais lento do que antes da pandemia, mas isso não significa um declínio inevitável no sector de xisto. Já os últimos dados da Baker Hughes indicam que o número total de plataformas caiu para 630, representando o menor número de plataformas de perfuração activas desde 4 de Fevereiro de 2022. Especificamente, o número de plataformas de petróleo sofreu uma queda de 08 unidades, chegando a um total de 507, marcando uma redução de 114 plataformas até a data. 

Mesmo com a redução no número de plataformas, as empresas que operam em campos de xisto como Chevron, Exxon, ConocoPhillips e Pioneer Natural Resources apresentaram recordes de produção no 2º trimestre do ano em curso, aumentando suas projecções para o resto do ano. As companhias estão agora focadas na eficiência operacional e no controle de despesas de capital, buscando melhorias por meio de perfurações de poços mais longos. 

A Administração de Informação sobre Energia (EIA) elevou suas projecções para a produção de petróleo bruto dos Estados Unidos para 2023 e 2024, prevendo recordes em ambos os anos, com uma média de 12,78 MBPD em 2023 e 13,16 MBPD em 2024. Essa tendência de crescimento é esperada para liderar o aumento da produção não pertencente à OPEP+, com os Estados Unidos, Brasil, Canadá e Guiana desempenhando papéis fundamentais. 

No entanto, apesar desses números positivos, é importante observar que a perda de produção da OPEP+, liderada pela Arábia Saudita, deve resultar em um déficit significativo no 4º trimestre de 2023. Isso indica que a dinâmica do mercado petrolífero global poderá sofrer mudanças, com potenciais impactos na oferta e na demanda.

Subscreva

- Obtenha acesso total aos nossos conteúdos premiums

— Publicidade —

Recentes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui